banco-pedra-foto-eduardo-camara

Banco Pedra

Designer Paulo Alves
Natureza (árvore) transformada em lâminas industrializadas → Transformadas, agora, de volta em forma da Natureza (pedra). Pedaços da Natureza separados na indústria → reunidos novamente em sob uma forma da Natureza. Forma tão antiga como os primatas. Como dizer: “Agora não separam mais a gente”; Protesto silencioso de uma peça, uma pedra no meio do caminho. Uma pedra para ficar no meio de (ou contrastando com) objetos ou formas abstratas (Hall de um edifício, ou grande sala com sofás quadrados). Incomodando pela sua forma, peso, irracionalidade. Uma pedra no meio do caminho. Para lembrar que tudo que está à volta também veio da Natureza. Um jeito (exemplo) de lembrar que não é preciso alterar tanto a forma das coisas para satisfazer às necessidades. É uma pedra no meio do caminho, que não só incomoda. Também acomoda: as pessoas podem se sentar. Acariciar suas formas sedosas…
Por um lado é o contrário do que faço: trabalho com linhas retas, abstratas. Por outro é a mesma coisa: forma simples. De qualquer modo: é um “escutar” a Natureza. Grito silencioso de uma Pedra. E, colocá-la mo meio do caminho.
Dimensões
L 52 P 52 A 40 cm – 1 lugar
L 159 P 52 A 40 cm – 3 lugares
L 109 P 109 A 40 cm – 4 lugares

Solicitar Orçamento
Preencha os campos

Produtos Relacionados